Voltar

Notícias

Concessionárias ampliam venda de caminhões

07/12/2018

Fonte: Diário do Comércio

A lenta recuperação da economia registrada ao longo de 2018 não segurou a venda de caminhões. Representantes de concessionárias ouvidos pela reportagem foram unânimes em afirmar que os resultados deste ano foram bem mais robustos que os do período anterior. O aumento registrado nas vendas chegou a 100%, com a ressalva que no exercício anterior a base foi fraca. Em alguns casos, a demanda ultrapassou a oferta por parte das montadoras. Mineração e logística para transporte de cargas variadas, com destaque para grãos e alimentos industrializados, puxaram a alta da procura pelos caminhões. Para 2019, as perspectivas são positivas devido às inovações da indústria e possível aquecimento da economia.

Números da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) comprovam o relato dos revendedores: o segmento de caminhões registrou alta de 50,2% no acumulado do ano até outubro, com 60,7 mil unidades contra 40,4 mil do ano passado.

Na concessionária Elmaz Caminhões e Ônibus, revenda da Volkswagen e Man localizada em Belo Horizonte, as vendas dobraram neste ano no comparativo com 2017, informou ontem o supervisor de vendas de caminhão, Roger do Vale Alves. E, de acordo com ele, a demanda foi maior que o esperado pelas montadoras. Ele fez uma ressalva que, mesmo com a melhora, o setor está ainda muito distante do ideal.

A melhora começou a ser sentida no fim de 2017. “O mercado cansou de esperar a política melhorar e passou a investir”, disse. Como segmentos que ajudaram a alavancar os negócios, Alves cita a construção civil, mineração e o setor alimentício industrializado ou frigorificado. Ele lembrou que nos anos de 2015, 2016 e 2017 a empresa operou no vermelho. Neste ano, haverá um pequeno lucro.

A Treviso Volvo Betim também registrou incremento na venda de caminhões em 2018 no comparativo com 2017, mas o percentual não foi informado. O gerente de qualidade e atendimento da concessionária, Fagner Carvalho Liberato, afirmou que a demanda por alguns tipos de caminhões também ultrapassou a capacidade da indústria. Isso ocorreu porque, com a recuperação lenta da economia brasileira, a divisão global da empresa direcionou a produção para outros mercados, como o europeu e norte-americano.

O aquecimento do segmento, segundo ele, partiu da alavancagem de setores como mineração, celulose, grãos e de serviços de logística, com transporte de produtos pulverizados.

O diretor comercial da Cardiesel, concessionária Mercedes-Benz, Fernando Cyrino, informou que as vendas na empresa cresceram 40% este ano em relação ao ano passado. “A empresa tinha perspectiva promissora no final do ano passado e entramos em 2018 mais animados”, relatou.

Greve – Segundo ele, a greve dos caminhoneiros causou um impacto negativo localizado e, cerca de um mês após o movimento, o setor apresentou uma forte recuperação. Como segmentos impulsionadores das vendas de caminhões ele cita a mineração e o transporte rodoviário de carga variada. Para 2019, as perspectivas são de crescimento. “Após a definição eleitoral, percebemos o empresariado com forte vontade de investimento”, disse.

Segundo Cyrino, a indústria teve dificuldade de atender à demanda. Mas ele reforçou que a Mercedes-Benz vem trabalhando dentro da lógica da indústria 4.0, ganhando velocidade para atender ao mercado.

Na concessionária Codema – Scania, em Pouso Alegre, no Sul de Minas, as vendas também melhoraram neste ano em relação ao ano passado, segundo informou o consultor de negócios da unidade, José Marcos Oliveira Araújo. De acordo com ele, a demanda por caminhões chegou a ser maior que a disponibilidade do produto. Isso ocorreu por dois motivos: a alta procura e a transição do modelo de caminhão, o que acabou alongando o prazo de entrega.

A melhoria das vendas na concessionária foi proporcionada pela demanda do varejo de grande escala, que levou ao incremento da distribuição logística. Para 2019, há expectativa de melhora amparada na espera de melhoria da economia e nas inovações da Scania.