Esclareça 3 dúvidas sobre gestão ambiental em postos de combustível

Os produtos com os quais o posto de combustível trabalha e a própria atividade desenvolvida constituem fatores potencialmente poluentes do meio ambiente. Para evitar que se consolide uma prática poluidora pelo estabelecimento, todo posto deve implantar sua gestão ambiental.

Dessa forma, os riscos de comprometer a qualidade do meio ambiente ficam reduzidos a níveis tecnicamente aceitáveis. Com isso, resguarda-se também de cometer infrações ambientais.

Mas, afinal, o que é gestão ambiental? Continue a leitura e esclareça 3 dúvidas sobre gestão ambiental em postos de combustível.

1. O que é gestão ambiental?

A gestão ambiental de um posto de combustível é o conjunto de estratégias utilizadas com o intuito de reduzir os impactos da atividade do estabelecimento sobre o meio ambiente. Em outras palavras, a gestão ambiental tem o objetivo de evitar que o posto seja um agente de poluição na área onde está instalado.

De modo geral, isso se consegue por meio de uma política de conservação ambiental na utilização dos recursos e nas atividades desenvolvidas.

Na prática, a gestão ambiental se traduz pela introdução de cuidados técnicos e operacionais no dia a dia. Esses cuidados prosseguem desde a instalação dos equipamentos até o descarte de resíduos resultantes do atendimento e dos serviços prestados.

2. Qual a sua importância?

A natureza dos trabalhos conduzidos em um posto de combustível pode levar a situações de poluição ambiental, se não forem tomadas as medidas e precauções necessárias. São aspectos relacionados, sobretudo, a vazamentos de combustíveis e destinação de efluentes.

Assim, podem ser relacionadas como relevantes as seguintes situações potencialmente poluidoras:

  • deterioração dos tanques provocando vazamento de combustível para o subsolo;
  • vazamento nas bombas e conexões;
  • elevado consumo de água para lavagem;
  • destinação inadequada de efluentes na rede pública;
  • inexistência de caixa de areia para os efluentes produzidos no posto;
  • destinação de resíduos resultantes das operações de serviços (embalagens de lubrificantes, estopa).

Os vazamentos, sejam superficiais ou no subsolo, provocam contaminação do solo e sério risco para o lençol freático (água subterrânea).

Por sua vez, os efluentes gerados nas operações de lavagem de veículos e do piso do posto conduzem grande quantidade de areia e resíduos de combustíveis e lubrificantes. Esses resíduos não podem ser carreados para a rede pública.

Do mesmo modo, as embalagens de lubrificantes e outros produtos automotivos utilizados no estabelecimento devem receber adequada destinação. Assim também devem ser conduzidas as estopas e os pedaços de tecido utilizados nas rotinas de limpeza.

3. Quais ações podem ser implementadas?

Com vistas à prevenção, a gestão ambiental em postos de combustível deve adotar medidas que, em especial, reduzem riscos e evitam danos ambientais. Assim, devem ser consideradas:

  • verificação rotineira e permanente de possíveis vazamentos nos tanques e conexões;
  • adoção de sistema de detecção de vazamentos;
  • manutenção adequada de todos os equipamentos, principalmente aqueles que fazem uso de fluido hidráulico, óleo lubrificante ou combustíveis;
  • capacitação e treinamento da equipe quanto aos riscos existentes e às medidas ambientalmente corretas na condução das rotinas do posto;
  • adequação dos locais de armazenamento de combustíveis, lubrificantes e qualquer produto potencialmente poluidor;
  • elaboração de um plano de contingências para acidentes.

Se você gostou deste post sobre gestão ambiental em postos de combustível, compartilhe-o com seus amigos nas redes sociais.

Gostou do texto?

Receba tudo no seu email! Prometemos não enviar spam!

Confira também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X Cadastre-se Faça seu cadastro e receba no seu email tudo sobre marketing digital! Não enviaremos spam!