Reforma da previdência: como isso impacta o posto de combustível?

A reforma da previdência é o assunto mais relevante do cenário social e econômico atual. Toda essa discussão é importante para a tomada de decisão dos gestores das revendedoras, pois pode impactar o dia a dia do autoatendimento no posto de combustível e também o seu planejamento estratégico futuro.

Ao longo deste artigo, vamos entender mais sobre a importância da reforma da previdência e conhecer alguns dos pontos do projeto apresentado pelo governo e que, agora, tramita no Congresso Nacional. É preciso que você fique atento a esse tema, pois ele tem o potencial de impactar os rumos do país e do setor de comercialização de combustíveis. Vamos lá!

Por que é preciso reformar?

Primeiramente, é preciso destacar que a necessidade de realizar uma reforma na previdência é “questão fechada” para a maioria dos economistas e políticos do país. Entre os principais argumentos pró-reforma, está o déficit astronômico do sistema, de R$ 194 bilhões de reais em 2018.

Além do rombo econômico, o aspecto populacional também anuncia cenários pessimistas para a previdência, pois a população com idade ativa está reduzindo, e o número de idosos, aumentando rapidamente. A seguir, vamos conhecer mais sobre alguns dos pontos em discussão no Parlamento para construirmos uma visão geral sobre o projeto de reforma.

Quais são as principais mudanças?

Idade mínima

O Brasil é um dos poucos países do mundo que não exigem uma idade mínima para a aposentadoria. Na América Latina, apenas Brasil e Equador, e na Europa, apenas a Hungria agem da mesma maneira. Para seguir essa tendência mundial, a proposta de reforma estipula uma idade mínima de 62 anos para as mulheres e 65 anos para os homens.

Cálculo da aposentadoria

Haverá mudanças no cálculo do benefício, que passará a considerar a média do total das contribuições sem desconsiderar as 20% menores. O valor integral só será pago para quem tiver contribuído por 40 anos para a aposentadoria. Quem contribuiu 20 anos receberá 60% e, a cada ano somado, será acrescentado 2% até chegar aos 100% estipulados para os 40 anos de contribuição, mantido o salário-mínimo como o piso.

Recebimento de pensões

O valor de pensão por morte não será mais de 100% do valor do benefício, mas, sim, de 50% acrescidos de 10% por cada dependente. Por exemplo: uma viúva que tenha dois filhos receberá um benefício de 80% (50% + 10% da viúva + 10% para cada filho). Os 10% referentes a cada filho não serão mais pagos quando esses atingirem a maioridade.

Regime de capitalização

Segundo a proposta do governo, os novos regimes de previdência deveriam adotar o modelo de capitalização no qual o trabalhador custeia sua aposentadoria com a poupança que realiza hoje. Esse item foi removido pelo relator, assim como os estados e municípios também foram excluídos do texto original.

Qual o impacto no posto de combustível?

O maior impacto diz respeito à possibilidade de uma “não reforma”, caso o projeto não passe no Parlamento, sendo rejeitado por falta de acordo ou por qualquer outro motivo. Esse evento provocaria efeitos muito negativos para a economia do país e para o setor de revenda de combustíveis.

Sem a reforma, os investidores migram para locais mais seguros para o seu capital. Simultaneamente, a pressão por aumentos de impostos cresceria, provocando a desaceleração da produção, da geração de empregos, do consumo e da demanda por combustíveis, enfraquecendo o setor.

Agora, você já sabe quais os principais pontos da reforma da previdência e como ela é capaz de afetar o autoatendimento no posto de combustível. Assine agora nossa newsletter para continuar a se manter bem informado nesse e em outros assuntos.

Gostou do texto?

Receba tudo no seu email! Prometemos não enviar spam!

Confira também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X Cadastre-se Faça seu cadastro e receba no seu email tudo sobre marketing digital! Não enviaremos spam!